O robô Ronda pertence às categorias de combate Sumô 3kg (R/C),  caracterizada pela pilotagem por meio de um controle remoto; e Autônomo, em que o robô não é controlado manualmente.

Como de costume na categoria, Ronda possui poderosos ímãs de neodímio em sua base, que elevam a força normal – e, consequente, a tração - resultante da interação com a arena de aço. Isso gera um peso virtual muito superior ao peso real, o que dificulta deslocamentos forçados por adversários.

Ronda possui uma rampa - utilizada com o propósito de diminuir a interação dos ímãs do adversário com a arena, tornando a expulsão para fora da arena uma tarefa mais fácil.

O robô conta, ainda, com alguns componentes eletrônicos desenvolvidos internamente à equipe – como a placa de potência, que possibilita uma grande passagem de corrente sem comprometimento maior dos motores.

 

Histórico

No Summer Challenge de 2013, sua primeira competição, Ronda foi a combate com uma nova base, porém com a rampa do antigo projeto, de policarbonato. Na ocasião, ficou claro não só que a base nova e o sistema de tração por duas rodas eram promissores, mas também que a rampa precisava ser atualizada!

Assim, no Winter Challenge de 2014, o robô lutou equipado com uma rampa fixa de metal, o que melhorou seu desempenho em relação ao ano anterior, mas ainda deixou a desejar. O mesmo ocorreu em no Winter Challenge de 2015, em que Ronda teve um desempenho ainda melhor, embora houvesse melhorias a serem realizadas.

Já no segundo semestre de 2015, com foco no Summer Challenge III, foram criados projetos novos tanto para a rampa, quanto para a eletrônica, que foi uma adaptação dos desenvolvimentos próprios da equipe para o robô da categoria Featherweight. A competição, entretanto, evidenciou problemas referentes à nova rampa utilizada, o que não possibilitou o desempenho desejado pela equipe.

Em 2016, o projeto da rampa foi reformulado e novos mecanismos foram adicionados à ela, que sanaram as complicações anteriores e aumentaram o poder de rampagem do robô. Além disso, foi desenvolvida a capacidade autônoma do robô, o que inaugura a entrada de Ronda na categoria de combate Sumô 3kg – Autônoma, no Winter Challenge XII.

 

   Ronda1     Ronda2 
Ronda3

O projeto original do robô Sumô 3kg da equipe chamava-se Poligno e, a essa altura, a equipe competia apenas na categoria rádio controlada (R/C) do Sumô 3kg.

Em 2012, Poligno alcançou o pódio, ao conquistar o terceiro lugar, no entanto, a competição passou a contar com robôs cada vez mais competitivos, e não foi possível manter o mesmo desempenho no Winter Challenge de 2013. Era preciso mudar!

           A reformulação do projeto consistiu na criação de uma base de dimensões menores, com cavidade inferior para abrigar os ímãs fixadores, e redução no número de rodas de quatro para duas - as correias acabavam criando um problema de tracionamento, o que levou a essa alteração. Assim nasceu Ronda, o atual robô de Sumô 3kg (R/C) e, a partir de 2016, também autônomo, da Equipe Phoenix.

O projeto original do robô Sumô 3kg da equipe, que tinha as dimensões máximas permitidas: a rampa, de policarbonato, era acionada durante as lutas. Ele contava, também, com um sistema de transmissão de movimento por correias, de modo a permitir o uso de quatro rodas.

           Foi desenvolvido em 2011, ano em que participou de sua primeira competição e, no ano seguinte, obteve a 3ª colocação no Winter Challenge VIII. Foi sucedido pelo novo robô da equipe, Ronda, em 2013.

 

 

DSC09719 DSC00515 DSC03644